Como fazer registro de perda no perecíveis

quebra hortifruti



Como fazer registro de perda no perecíveis

 

quebra e perda no perecíveis é bem constante, consomem a margem e tira a competitividade da empresa no mercado, principalmente se tratando do hortifruti, por isso, vou trazer aqui de forma bem resumida, como fazer registro de perda no perecíveis e aprender a identificar as causas da quebra do hortifruti.

 

Tipos de quebras no varejo

Existe alguns tipos de quebra no varejo, quebra contábil ou de estoque, quebra identificada ou registrada e quebra não identificada ou perda. 

  • Quebra contábil ou de estoque: A quebra contábil ou de estoque é aquela relacionada aos valores monetários do produto. Elas são afetadas quando se altera o valor comercial do produto ou por questões econômicas, desvalorizando o estoque, por exemplo: Um comprador de um supermercado comprou para o abastecimento da loja, alho a granel, cerca de 10 cx a R$ 250,00 cada caixa, a ser vendido a R$2,99 100g. Dois dias depois, o fornecedor anunciou uma boa oferta de alho a R$ 170,00 a caixa. Com isso, a diretoria do supermercado resolveu anunciar o produto em tablóide a R$ 1,99 100g  e o comprador negociou a compra de mais 50 cx. Porém, ainda existia no estoque as 10 caixas da compra anterior. Se essas 10 caixas forem vendidas juntamente com as 50 cx com preço da segunda oferta, teremos uma quebra contábil na primeira compra.

Esse tipo de quebra não é habitual no setor de hortifruti, justamente pelo giro rápido de algumas mercadorias, porém, isso pode acontecer com alguns produtos que costumam ficar por mais tempo em estoque.

Como fazer registro de perda no perecíveis

Quebra identificada ou registrada: A quebra identificada é aquela que conhecemos a origem da avaria e que em seguida é registrado o motivo pelo qual está sendo avariada. É importante definir X motivos para cada situação em que o produto é avariado. Para cada motivo existe um ou mais erros operacionais. Os principais são: produto danificado, degustação, data de validade expirada, maturação e produto para troca.

Quebra não identificada ou perda: A quebra não identificada deve ser evitada sendo muito prejudicial para a saúde do negócio pois não há indícios e não se sabe a origem da perda, cuja a falta é constatada no inventário físico da mercadoria. As quebra não identificada, podem ser ocasionada por supostos motivos: Furto interno ou externo, quebra operacional não registrada, fraude do
fornecedor, erros administrativos, inversão de códigos na frente de caixa, transferências internas de insumos não registradas etc…

 

Como identificar e registrar a quebra

Toda mercadoria avariada sofreu um determinado dano que compromete sua integridade original, seja ele qual for o erro operacional. Assim sendo, o produto precisa ganhar um destino e um motivo pelo qual está sendo avariado.

 

Segundo Santos, em seu artigo na revista eletrônica-brasilianos&Associados – Set/Out/2008 Ed. 32ª, p 6, a quebra operacional ocorre a partir da compra dos produtos junto ao fornecedor e envolve os demais processos comerciais, quais sejam: Transporte, Recebimento, Estoque/ Armazenamento e Exposição.

No setor de hortifruti, costumo trabalhar com um grupo de motivos que são mais diferenciados, digamos, focado para o FLV:

 

motivos erros operacionais

Por exemplo: Alguns pacotes de tapioca estão próximos ao vencimento e precisam ser avariados.

Então no registro de controle de quebra efetuamos o seguinte registro:

QTDE            DESCRIÇÃO                     COD. MOTIVO

10 pcte         Tapioca da terra 500g          2

 

Porque registrar a quebra operacional?

Registrar e identificar a quebra operacional ajuda a manter o estoque ajustado e corrigido, uma vez que a quebra operacional também é uma saída de produtos do estoque e a quantidade precisa ser subtraída. Além disso, cada vez que registramos o motivo do produto avariado, visualizamos os que mais estão quebrando.

Como comentei em um post Como diminuir a quebra do hortifruti, o registro de perda no perecíveis é um dos métodos para a diminuição quebra e melhor ainda quando acompanhada pela equipe de prevenção de perdas, que precisa garantir essa acuracidade e praticar ações preventivas.

 

O que são trocas?

Troca de mercadoria é um acordo comercial pré-estabelecido que dão destino à mercadoria avariada. Essa troca geralmente precisa ficar segregada em local adequado aguardando a retirada ou averiguação do fornecedor.

As trocas não contabilizam quebra e nem perda no estoque de um negócio pois futuramente isso será ressarcido pelo fornecedor. Tudo vai depender do tipo de acordo que foi realizado.

  • Troca direta: A troca direta é aquela que a mercadoria é trocada pelo fornecedor em uma de suas visitas á loja pelo mesmo tipo de mercadoria, sem a emissão de nota fiscal, “elas por elas”. É necessário segregar a mercadoria caso o fornecedor leve essa troca da loja.
  • Troca com descarte: A troca com descarte é idêntica a troca direta, porém, a loja emite nota fiscal de devolução das quantidades trocadas e a mercadoria em seguida é descartada. Porém, o fornecedor paga em dinheiro e não com mercadoria.

 

O que é produto PAR?

PAR (produto de alto risco) geralmente são produtos de alto valor agregado, muito atrativo e que possuem alto desejo de posse por demonstrar status ou moda. Esse tipo de mercadoria quando classificada como PAR, precisa ser monitorada desde o recebimento, estocagem em local segregado e em lugares posicionados para a monitoração na área de venda.

No FLV, os produtos de alto risco estão relacionados ao valor comercial, ou seja, alto valor do produto e de fácil furto. Posso citar alguns produtos como: suco orgânico, pacotes de frutas secas – nozes, pistaches, macadâmia ameixas e castanhas.

Espero ter ajudado e até a próxima!

Comentar com o Facebook

6 Comentários para Como fazer registro de perda no perecíveis

  • Vanessa Lofrano  Diz:

    Olá Rogério!
    Seus artigos são muito esclarecedores. Eu estou iniciando com a idéia de abrir um Hortifrutti, o ponto que hoje alugamos para nossa distribuidora é excelente para um Hortifrutti, inclusive há cinco anos era um, fechou por que os donos tiveram que se mudar de SP.
    Bom, a região é ótima e não tem nenhum comércio deste e nem mesmo feira…
    O Ceasa é bem próximo, o que facilita.
    Minha questão é saber a média de faturamento e custos. O estabelecimento tem 100m2.
    Você pode me ajudar?

    • Rogerio Prado  Diz:

      Olá Vanessa tudo bem?
      Qué bom que tenha gostado dos artigos. Bem, a ideia de montar um novo hortifruti no local é de grande vantagem, pois vocês terão a oportunidade de trabalhar em um marketing de reinauguração para o bairro, com muita novidade. Se possível, faça uma pesquisa de mercado com os moradores da região próximo ao local, com algumas perguntas relacionadas ao seu ponto e a ideia de nova loja de hortifruti. Veja qual será a reação do público.
      O tamanho do estabelecimento é muito bom, e explore bem toda a área. Dê uma olhadinha no artigo: Investimento inicial para montar um hortifruti e Como montar um sacolão. Também, sugiro que você faça um plano de negócio. Custos e faturamento é relativo, pois o custo vai contar desde uma conta de água, até o pagamento de um funcionário, se for contratado.

      Abraços.

  • Ana Paula  Diz:

    Boa tarde adorei esse artigo parabéns… Tenho uma dúvida quanto às perdas todos os dias faço pesagem de perecíveis que acabo perdendo para ter uma base. Meu negócio é pequeno e não tenho muito giro de mercadorias e não deixo muitas em estoque…. queria saber o que faço pra reaver essas perdas existiria algo?

    • Rogerio Prado  Diz:

      Olá Ana tudo bem?
      Obrigado, espero que sempre te ajude. As perdas no hortifruti infelizmente são inevitáveis independente do tamanho do negócio, cabe os empreendedores buscar alternativas para sempre diminuir essa quebra. A cada post aqui no blog, é uma ferramenta diferente para evitar as perdas. Dê uma olhadinha nesse post. Como diminuir a quebra do hortifruti e
      Abraços.

  • Caroline Noronha  Diz:

    MUITO BOM DIA. SUAS DICAS SÃO MUITO VALIOSAS. PRETENDO MONTAR UM HF E QUERIA JUSTAMENTE UMA IDÉIA DIFERENTE DE TUDO QUE TEM NA CIDADE ONDE MORO.IMAGINAR E UMA COISA E VER OU TER CERTEZA E OUTRA. PENSEI NUM SENSO DE ORGANIZAÇÃO, BOM ATENDIMENTO E VC ME MOSTROU BEM MAIS DO QUE EU IMAGINAVA. MUITISSIMO OBRIGADO. QUE DEUS O ABENÇOE POR AJUDAR TÃO BEM AO SEU PRÓXIMO.

    • Rogerio Prado  Diz:

      Olá Caroline tudo bem?
      Que bom que de alguma forma o blog tem ajudado a clarear um idéia de negócio. Espero que sempre visite o site e deixe seus comentários, amém!
      Abraços.

Comentário